Resenha # 09: A Companhia dos Lobos

A adolescente Rosaleen é atormentada por pesadelos envolvendo lobisomens. Numa viagem sobrenatural a um mundo de fantasia, a jovem vai encarar um destino cruel e inevitável.

“Uma menina, uma história para dormir. O cenário familiar da infância. E contida nos lobos estão as forças do mal que irão triunfar sem um final feliz. Mas este não é um conto de fadas. É aqui que a lenda termina e começa a sobrevivência, mas os sonhos infantis não prometem o final feliz. A criança não é um adulto e o lobo não é humano. Este é o mundo sombrio que há entre as páginas dos contos de fadas. Negá-lo é matar a criança que existe na alma. Entrar nele é matar os sonhos de infância. A Companhia dos Lobos é a companhia que temos, mesmo em nossos sonhos.”

Uma jornada visual e onírica, cheio de simbolismo. Um dos melhores filmes de horror/fantasia da década de oitenta. Com roteiro inspirado na fábula Chapeuzinho Vermelho, o longa narra de forma simbólica os desejos, a culpa e as dúvidas surgidas na adolescência. Pesadelos e realidade se misturam, sempre tendo como ponto em comum os lobisomens. Seriam estes lobos, que rasgam os peitos dos homens e "devoram" garotinhas, o "sexo"? O filme é aberto a diversas interpretações e cada detalhe tem um significado, o vermelho do sangue é o mesmo vermelho do "desejo"? Neil Jordan (de "Entrevista com Vampiros") realiza seu primeiro e melhor filme, que abocanhou prêmios merecidos por todo canto do mundo onde foi exibido. Os cenários ("Companhia dos Lobos" foi quase todo filmado em estúdio) são deslumbrantes, a trilha sonora é marcante, o roteiro original, o elenco talentoso conta com a presença de Stephen Rea, o ator preferido de Jordan e ainda a aparição de Terence Stamp no papel do Diabo. Um exercício para a mente e para os olhos.
cotação

A Companhia dos Lobos (The Company of Wolves, 1984, Inglaterra)
Direção: Neil Jordan.
Roteiro: Neil Jordan, baseado no conto "Chapeuzinho Vermelho", de Angela Carter.
Produção: Chris Brown.
Música: George Fenton.
Direção de Fotografia: Bryan Loftus.
Figurino: Elizabeth Waller.
Edição: Rodney Holland.
Elenco: Sarah Patterson (Rosaleen), Angela Lansbury (Granny), David Warner (Pai), Graham Crowden (Padre), Georgia Slowe (Alice), Kathryn Pogson (Noiva), Stephen Rea (Noivo), Tusse Silberg (Mãe), Terence Stamp (Diabo) e Micha Bergese (Caçador).
Distribuição:
Em DVD pela Flashstar Filmes.

1 comentários:

  1. jonatam_q disse...:

    Ops... vamos ter que conferir esse também ... o primeiro filme que eu pego por influência da nocturnia.Parabéns pelo blog Kaos ... parece bem interessante ... so vou ler de trás pra frente eheheheh

    t+

    PS: Não vou poupar criticas

 
nocturnia Z © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour