Resenha # 17: Zombie - Despertar dos Mortos

Anne Bowles e um reporter partem em direção a uma ilha tropical à procura do pai, desaparecido misteriosamente. Quando chegam no local se deparam com mortos-vivos sedentos de carne humana.

Os vários Títulos da Obra-Prima de Fulci

"Zombie - Despertar dos Mortos" (1978), o segundo filme da série clássica de zumbis de George Romero, foi lançado por Dario Argento na Itália como "Zombi". Como picaretagem não é exclusividade das distribuidoras brasileiras, os italianos aproveitaram o sucesso comercial do filme de Romero e lançaram o longa de Fulci como "Zombi 2", sugerindo que a trama fosse uma sequência. "Zombi 2" acabou sendo o título adotado em toda a Europa. Já nos Estados Unidos o título escolhido foi "Zombie Flesh Eaters". "Zumbi 2 - A Volta dos Mortos", foi o título adotado no Brasil quando o filme foi lançado em VHS na década de 80. Recentemente, a obra-prima de Fulci foi lançada em DVD por aqui pela Works, recebendo o título definitivo de "Zombie - A Volta dos Mortos".

Fulci - O Mestre

A decisão oportunista de determinar um título que fizesse referência a uma sequência de "Despertar dos Mortos" acabou colocando o filme de Fulci em segundo plano. "Zombie - A Volta dos Mortos", permaneceu, durante muito tempo, com a fama de cópia barata de "Despertar...", como uma sequência inferior do filme de George Romero. Felizmente, o longa, foi aos poucos redescoberto e valorizado pelos fãs do cinema de horror e hoje é considerado um clássico unânime.

O diretor italiano Lucio Fulci é considerado um novo mestre no genêro, podendo ser comparado a Argento ou mesmo Romero. Sua extensa carreira como diretor inclui, além do horror, filmes de ficção científica e comédias. Mas foi no terror que sua filmografia arrebatou uma legião de fãs. Entre 1980 e 1981, Fulci filmou sua enigmática trilogia dos infernos, com "Pavor na Cidade dos Zumbis" (Paura nella città dei morti viventi), "A Casa do Além" (The Beyond/E tu vivrai nel terrore) e "A Casa do Cemitério" (Quella Villa Accanto al Cimitero). Em 1982 realizou sua versão para Jack, o estripador em "O Estripador de Nova Iorque". Infelizmente Lucio Fulci faleceu em 1996.

"Zombie - A Volta dos Mortos" é um filme realizado com poucos recursos, considerados pela crítica, trash, e pelos amantes do terror, uma obra-prima. Ficou famoso pelas sequências violentas e por introduzir mortos-vivos putrefatos, com vermes saindo de suas entranhas, levantando de suas covas. Até então, nem os zumbis de Romero eram apresentados em decomposição. E duas sequências tornaram-se antológicas por sua beleza plástica. Em uma delas, um morto-vivo se degladia com um tubarão. A sequência é plasticamente muito bonita e a trilha sonora composta por Fabio Frizzi e Giorgio Tucci a torna mais onírica ainda, por mais absurda que parece a premissa de um zumbi versus tubarão. Em outra, mais apocalíptica, uma legião de mortos-vivos marcham em direção a Nova York.

O mais incrível, é que apesar do orçamento limitado, o realismo impresso nas cenas de violência é impressionante, ainda mais quando lembramos que ainda não existia cgi na época. Fulci, como muito dos cineastas italianos, ficou famoso pela violência gráfica e desenfreada, sem pudor ou qualquer procupação com censura ou em agradar ao público. O resultado, uma obra única e estilizada.

O Elenco e o Roteiro

O elenco é composto por atores praticamente desconhecidos e a fraca atuação destes não interfere na qualidade final do filme. O elenco principal é mesmo a legião de mortos-vivos, estes sim, esbanjam talento, atingindo a todos os estômagos, até aos mais calejados. O visual decomposto dos zumbis passou a ser usual nos próximos filmes do genêro, inclusive no terceiro filme da saga de Romero, "O Dia dos Mortos". Antes de "Zombie", os mortos-vivos eram apresentados apenas como pessoas comuns, cambaleando e com o rosto azul ou branco. A maquiagem tornou-se muito mais sofisticada após o filme de Fulci.

A trama, assim como nos filmes da saga de Romero, não explica a origem dos zumbis. Em alguns momentos, os nativos da ilha onde a história se desenvolve falam em vodu, mas a teoria não é confirmada em nenhum momento. O roteiro é simples e se desenvolve linearmente sem nenhuma reviravolta. Algumas questões permanecem inexplicadas e rendem alguma discussão, porém a falta de criatividade no roteiro é compensada pela violência explícita.

Diversas pseudo-continuações foram lançadas nos anos que se seguiram. O próprio Fulci se juntou ao também italiano Bruno Mattei na direção do terrível "Zombi 3" em 1988. Pra variar, não é continuação e só tem em comum com "Zombie" os mortos-vivos. "Zombie 4 - After Death" e "Zombie 5 - Killing Birds" também são falsas continuações (o primeiro na verdade chama-se "After Death", e foi realizado em 1988, no mesmo ano de "Zombi 3"), e "Killing Birds" foi realizado em 1987 (um ano antes de "Zombi 3"). Dá pra acreditar em tanta picaretagem??

Enfim, "Zombie - A Volta dos Mortos" é uma obra única imitada a exaustão nos anos 80. Não é um filme cabeça, mas é belo, violento e divertido.

Cotação:
Zombie - A Volta dos Mortos (Zombie, Itália, 1979)

Direção: Lucio Fulci.
Roteiro: Dardano Sacchetti e Elisa Briganti.
Produção: Fabrizio De Angelis e Ugo Tucci.
Música: Fabio Frizzi e Giorgio Tucci.
Fotografia: Sergio Salvati.
Edição: Vincenzo Tomassi.
Efeitos Especiais: Giovanni Corridori, Gino De Rossi e Roberto Pace.
Figurino: Giannetto De Rossi, Mirella De Rossi, Maurizio Trani e Rosario Prestopino.
Elenco: Tisa Farrow (Anne Bowles), Ian McCulloch (Peter West), Richard Johnson (Dr. David Menard), Al Cliver (Brian Hull), Auretta Gay (Susan Barrett), Stefania D'Amario (Missey, a enfermeira) e Olga Karlatos (Paola Menard).
Duração: 91 mins.
Distribuição: Em DVD pela Works.

0 comentários:

 
nocturnia Z © 2010 | Designed by Trucks, in collaboration with MW3, Broadway Tickets, and Distubed Tour